sábado, 11 de outubro de 2008

Buraco Negro



Nada existe.

A Torre é uma abstração. Tudo é abstrato. Não; o abstrato também é uma abstração.

Quasímodo não existe, nem Victor Hugo, nem Juca nem o Rio Grande. Nem quem os criou numa blogosfera inexistente.

Não existem o céu e a terra, o paraíso ou o inferno, nem seres vivos ou mortos, nem mesmo lembranças no dia de finados, pois que memórias não existem, nem calendários.

Não há o espaço nem o tempo, nem mesmo o que gastei escrevendo estas besteiras, pois besteiras não existem, nem filosofias, nem metafísicas, metas ou físicas.

Nada existe.

Não existe a felicidade, a dor e a fratura exposta.

Não existe a História a resgatar coisas inexistentes.

Nunca existiu prata em Potosi ou carvão em Criciúma, nem mineiros soterrados ou pulmões fibrosos de pó.

Nenhuma criança guarani foi espetada na espada.

Nunca existiram operários grevistas ou capitalistas de charuto suicidando-se pela quebra da bolsa. Não... Nada existiu. Nem as mulheres queimadas vivas na fábrica ocupada.

Nunca houve nada por que lutar ou morrer. Nem John Lennon, nem o franco Francisco, nem La Pasionaria, nem Marselhesa, nem a Comuna de Paris.

Não existiram homens como Moisés, Jesus Cristo, Sidarta Gautama, Gengis Kan, Hiltler, Mussolini, Stálin, Lenin, Pol Pot, Mao, Trotski, Ernest Guevara, Bandido da Luz Vermelha ou o português da padaria... Fernando Pessoa... Nem poesia.

Nunca existiram Gulags, nem Auscwitz...

Não existe a consciência nem o conhecimento. Só existe o vazio e o nada.

Não. Nada existe.

Nem o mundo, nem o buraco negro.

___________________

Amanhã eu vou para o mato. Lá tem passarinhos e aranhas.
(Se houver amanhã.)

14 comentários:

Vivian disse...

...como irá se não existe
mato, passarinho,
e aranha?

se não existem como
sabemos que é,
mato,
passarinho,
e aranha?

o que que é mato
passrinho
e aranha?

rsssssssssssss

ai, ai
kadê meu gardenal, manhêeeee??

adorei aqui..

bjs existentes, graças à Deus.

ou não...sei lá..

Quasímodo disse...

Mato, passarinhos e aranhas são frutos de uma mente inexistente...

Milly disse...

Guri,guri...rs
Já divaguei tanto sobre tudo isto!
Às vezes,qdo a dor é muito forte...me pego pensando..."Será que estou num mundo virtual...3D...tipo Matrix?"..rs
Se eu desligar a tomada,será que tudo muda...ou apaga?
Desliga de uma vez por todas?
Passo longe da tomada...sou covarde...tenho medo do que pode existir além do fio...
Sei do que falas...tenho aqui os mesmos dilemas...
.

Milly disse...

Ah,deixa eu te contar...rs
Qdo menina(isto foi ontem...logo alí...rs),eu me pegava pensando sobre o nome das coisas...e quem podia ter-lhes dado...tipo...
Pq passarinho se chama passarinho e não aranha?
Pq gaiola se chama gaiola e não casa?
Ficava louca com isto!!
E deixava minha mãe mais louca ainda..rs
Até hoje ela fala disto...e da dificuldade em me fazer entender que,algumas coisas,são como são...questionar,se debater e tentar entender...é sofrer em vão...
.
Lindo texto!
Juca,Juca..tens dado boas idéias à este guri...rs
Ótimo domingo pra ti!
Beijos...todos!
.
.

Fátima N. disse...

____e eu que nem existo, nem vi que a viagem de existir era ilusão. passei batido pela história meu camarada, ela nunca existiu.
o mate que era amargo, quem disse? aah não existe.
.
o negro nem era escravo, foi ilusão, a fisica explicaria, se ela existisse.
.
o buraco negro é um grande tapete, onde se escondem as sujeiras.
.
meu amigo, não existimos.
não existimos!!!
.
um beijo terno, de uma admiração existente e um amor residente.
.

Anne disse...

Pois então pega a cuia e vamos tomar um mate no meio desse monte de nada, que tal? Estou mesmo sentindo que as coisas as vezes são um monte de nada sem sentido, que nós é q buscamos entender e dar razão a tudo...

E que razão há? Nenhuma, lógico! É uma bagunça desgraçada, quando tu acha uma coisa, é outra. Quando nao acha nada, aí é mesmo algo...rsrsrs. Pelamor, Quasi, me dá uma janela aí da torre pra eu tentar sair voando? Hahahaha

Achei linda a forma como tu escreveu esse. Ficou mto bom e eu já fiquei aqui viajando um monte (coisa ótema para se fazer no maravilhoso ócio do domingo)!

Agora vou faxinar e pensar no que vc disse...rs

Beijos, querido amigo!

retalhos disse...

Amigo
A certeza do nada, é garantia do tudo.
Em não se crendo em nada , onde colocamos o tudo.
Sabe, se vais ouvir passarinhos , eles terão cantos, asas, galhos, flores , frutinhas; ou eles serão nada.
E se vais em busca das aranhas, suas teias , quase invisíveis, são quase um nada, mas são o tudo para elas.
Meu querido, precisamos do tudo , para pensarmos no nada. Não temos o tudo , só temos o nada.
Meu beijo de carinho para você, com nada, mas perdido no tudo.
Boa noite de domingo.

theodora disse...

Ops.. li camarada ali???..rsrs

.
Corcundinha do meu coração.. vim trazer o meu beijo e desejar uma semana pra lá de bacana..
.
será que vim???... será q existo^???
.
uél.. pelo sim,, pelo não.. mais beijosssss

Gata de Rua disse...

...fui pro mato. Lá não existo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo:
Peço-lhe que venha urgentemente ao meu Blog e deixe um comentário no meu post. Se não fosse urgente, eu não chamaria.
Renata
Vc tem sido presença constante no meu Blog. Preciso da sua presença agora, mais do que nunca

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo:
Estou aqui para agradecer a força dada ontem e para lhe oferecer um POST DE PAZ.
Um beijo,
Renata

livy* disse...

estou aqui nesse momento..
se existo ou não, "isto ou aquilo"...
deixo meu bj* antes
que eu mude de idéia se estou aqui ou não seria outra aqui?rs...
sei que é muito bom ler aqui!

Henrique disse...

Precioso blog!
Parabéns, mais uma vez!
Henke!

Quasímodo disse...

Obrigado, conterrâneo... És sempre benvindo.

Abraços.

 
Letras da Torre - Templates Novo Blogger